26 maio 2017

Música | 4 artistas nacionais que eu indico

Fonte: Tumblr
Alô alô amores! Tudo bem com vocês? Espero que sim. O post de hoje é sobre uma das coisas que eu mais amo na vida todinha: música. Mas vou confessar uma coisa pra vocês: eu sempre fui de ouvir muita música gringa e deixar a música brasileira de lado e, pelo que tenho visto por aí, muita gente também é assim, né? De uns tempos pra cá (mais precisamente, desde que conheci o duo mais lindo da vida, vulgo Anavitória), eu tenho dado uma chance pra música nacional e tenho me surpreendido com tanta coisa boa que tem escondidinha no youtube haha. Por essas e outras, separei 4 artistas brasileiros que eu amo e que merecem um lugarzinho na sua playlist. Bora ver quem são?

Primeiro: vamos comentar a beleza dessa mulher. Coisa mais linda, né? Conheci a Geo por causa de um post da MTV, e como música boa a gente tem que compartilhar, eu tô aqui fazendo a minha parte. A cantora começou postando covers no youtube em 2013 e recentemente decidiu apostar no próprio som (melhor coisa que ela fez!) e lançou a música Tipo Errado De Amor que fala sobre um relacionamento abusivo. Ela segue um estilo bem Lana Del Rey (no caso melancólico e profundo) mas, claro, do jeitinho dela. INDICO PRA QUEM? Pra você que curte sad pop e música alternativa alá Lana Del Rey, Marina & The Diamonds, Melanie Martinez...
Acompanhe Geo nas redes sociais: YoutubeFacebook | Instagram | Spotify | Google+

Gente, a Ana Muller é só amô! Comecei a ouvir as músicas dela anos atrás e, desde então, acompanho o trabalho da capixaba. Ela começou também pelo youtube, onde postava suas músicas autorais só na voz e violão. Esse ano ela lançou o EP Ana Muller, que conta com 5 músicas e fala sobre depressão e experiências pessoais. O som da Ana é bem tranquilo, daqueles que só de ouvir já te passam paz, sabe? Ela faz parte dessa nova geração de cantores MPB e tá arrasando. O vídeo que trouxe pra cá é bem antigo (lá de 2014). Ana já mudou bastante, mas essa é a minha versão favorita da minha música favorita dela (apesar de a versão do EP também ser incrível), então vou enaltecer esse vídeo sim. INDICO PRA QUEM? Pra quem gosta de MPB, de ouvir só voz e violão e curte artistas como Cícero, Anavitória e A Banda mais bonita da cidade,
Acompanhe Ana nas redes sociais: Youtube | Facebook | Instagram | Twitter | Spotify | Google+
Alá, mais uma que começou com covers no youtube! haha. A Sofia Oliveira bombou em 2015 com um vídeo em que ela fazia cup song (aquela brincadeira em que o ritmo da música é feito com o som de um copo batendo na mesa, sabe? Clica aqui pra ver como é) e, com o tempo, foi atraindo mais inscritos e fãs. Hoje, com 17 anos, a Sofia já tem um contrato com a Warner Music e já lançou dois clipes, o Eu Te Amo Tanto e o Garotas Não Mordem. A Sofi faz um som bem pop e mais adolescenteINDICO PRA QUEM? Pra quem gosta de pop estilo teen e escuta artistas como a Lexa, a IZA e a Manu Gavassi.
Acompanhe Sofia nas redes sociais: Youtube | Instagram | Twitter | Facebook | Google+
Tem música pra bater o cabelo também, sim senhora! Pabllo é uma drag queen maravilhosa que começou a fazer sucesso em 2015 com Open bar (uma versão brasileira da música Lean On), daí já emendou com uma turnê nacional e em 2016 virou vocalista da banda do programa Amor & Sexo. É poderosa ela! Em 12 de janeiro de 2017 (meu aniversário, gente) ela lançou o álbum Vai Passar Mal e nos presenteou com a música Todo Dia, que foi o hino do carnaval e, ainda por cima, é o clipe original de uma drag queen mais visto do MUNDO. Sim, mores, eu não tava brincando quando disse que Pabllo é o poder. E como Pabllo não para, mês passado ela lançou o clipe da música K.O, um forrózin gostoso de ouvir (mas que dá pra bater cabelo também). INDICO PRA QUEM? Pra quem gosta de balançar a raba e curte ouvir Anitta, Ludmilla e outras artistas do gênero.
Acompanhe Pabllo nas redes sociais: Youtube | Instagram | Twitter | Facebook | Google+
Por hoje é só, amores! Já conheciam alguma das sugestões? O que acharam?

VEJA MAIS:
Me acompanhe também nas redes sociais: 

22 maio 2017

Resenha: Máscara de Cílios Big & Define (Avon Mark)

Oi, amores! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Eu vou bem, aliás, muito bem porque o blog conquistou 600 leitores essa semana e meu coração se encheu de felicidade (♥). Espero que vocês estejam gostando do conteúdo aqui do LG tanto quanto eu, viu? Enfim, fazia um tempão que eu não trazia nada relacionado a beleza por aqui, então, pra compensar, decidi falar desse rímel que comprei há pouco tempo mas já considero pakas. Simbora?
Quem é cliente da Avon há algum tempo sabe que o Big & Define já existia no catálogo, mas recentemente ele ganhou uma repaginada daquelas e chegou chegando com uma embalagem toda linda e minimalista e, além disso, agora ele também faz parte da linha Mark. Maaas, mesmo já existindo no catálogo, eu nunca tinha experimentado porque antes eu só comprava o Big & Illusion. Dessa vez decidi dar uma chance pro Big & Define e...
Não me arrependi! O aplicador pega nem demais, nem de menos do produto e, por isso, não deixa os cílios grudados. Na verdade, é muito pelo contrário, a Big & Define faz jus ao que o seu nome diz: define (e separa os cílios) pra caramba! Eu tinha um grande problema com a Big & Illusion porque os meus cílios sempre ficavam grudados se eu passava mais de duas camadas, mas com a Big & Define cês podem ficar tranquilas que isso não acontece. 
durabilidade também é ótima, passo horas com ele e não borra e nem sai durante o dia, afinal, ele é a prova d'água (ou seja, dalhe demaquilante, mores). A textura do rímel é perfeita: não é líquida demais, nem grossa demais, e tudo isso auxilia na separação dos cílios. 
A máscara promete três coisas: separação, definição e volume e, na minha opinião, ela arrasa nas duas primeiras e peca um pouquinho na terceira. Não consegui perceber tanto o volume, por isso digo que, se o seu objetivo é muito volume: se joga na Big & Illusion, mas se o seu objetivo é um acabamento mais natural, cílios separadinhos e bem definidos: se joga na Big & Define! Paguei exatos R$22,00 por ela e, pra mim que amo um visual mais natural, valeu muito a pena, ainda mais porque achei um ótimo custo/benefício. Tenho usado muito a máscara e com certeza vou comprar de novo!
E vocês, já experimentaram essa ou pretendem experimentar?

VEJA MAIS:
Me acompanhe também nas redes sociais:

17 maio 2017

TOP 5 | Páginas para curtir no Facebook

Foto: Teresa Kluge | Edição: Gabriela Soares
Oi, amores! Tudo bem com vocês? Por aqui tudo ótimo. O post de hoje envolve o Facebook porque, convenhamos, essa é uma das (senão a) redes sociais mais populares no nosso Brasil, né? E por ser tão popular, algumas pessoas usam pra espalhar ódio gratuito e coisas desnecessárias, mas ~felizmente~ também existe por lá uma penca de gente do bem e várias páginas good vibes dispostas a espalhar coisas boas, e é exatamente sobre elas que é o nosso post de hoje. Cês querem ver mais amor nos seus feeds de notícias? Então deem uma olhada nessas páginas aqui.
Ô página bonita essa! A para largar o rivotril enche a nossa timeline com frases como as da imagem acima. São frases simples, mas que nos dão uma paz enorme só de ler e, ao mesmo tempo, tocam na nossa alma. Essa é uma página que a gente precisa muito ler e reler as publicações de vez em quando. 
Certeza que todo mundo ouviu falar do jogo da Baleia Azul (aquele jogo triste que levou muitas pessoas ao suicídio), mas vocês conhecem o desafio da Baleia Rosa? Pois então, essa página foi criada, justamente, em contraponto com o jogo, e o objetivo dela é incentivar as pessoas a fazerem o bem através dos tais desafios (que em nada se igualam com os desafios da Baleia Azul, porque o Baleia Rosa se trata do bem e do amor, viu?). A ideia inicial era fazer 50 desafios, mas a página fez tanto sucesso que agora já até passou desse número, afinal fazer o bem é igual a zoeira: não tem limites, né não? 
 
 A CRUA é mais uma dessas com imagens com frases que a gente precisa ler, refletir e, se possível, lembrar todos os dias. Mas o diferencial da página é que essas imagens sempre vêm acompanhadas de um texto maravilhoso e sincero que as complementa (e, ao mesmo tempo, joga várias verdades na nossa cara haha).
A Tickets do bem, além de ser fofinha, ainda nos faz rir. A proposta da página é nos disponibilizar esses vales alguma-coisa-que-você-não-encontraria-em-vales-normais, tipo esse vale desculpas por responder mentalmente (que inclusive eu uso muito, hein?). A melhor parte da Tickets do bem é que dá pra marcar a pessoa que você acha que merece o ticket e ir usando a página ao seu favor.
Gente, essa página aqui é o meu dengo! A Doses Diárias de Amor e Respeito Próprio segue a mesma linha da Para Largar o Rivotril e da CRUA. São posts com lindas ilustrações acompanhadas de frases/textos que nos atingem de uma forma inexplicável e que, muitas vezes, vêm exatamente na hora certa, parece que a dona da página adivinha pelo que a gente tá passando e boom solta uma postagem sobre.
Ei tu, não esquece de dar uma olhada na página do Like Gabs também, tá?
Cabô a listinha de hoje, mores. Gostaram das páginas? Já curtem alguma?

VEJA MAIS:
Me acompanhe também nas redes sociais:
Twitter | Facebook | Instagram

11 maio 2017

5 séries para quem gosta de moda

Oi, amores! Há algumas semanas atrás estreou Girlboss na Netflix, uma série que eu tava esperando há muuuuito tempo e, pensando nela, me veio a ideia de fazer esse post pra todos os amantes de moda desse mundão. Tentei selecionar séries ~menos óbvias~ do que aquelas que estamos acostumados (vulgo Gossip Girl, Sex & The City, etc...), então espero que vocês gostem das dicas, tá bom? Simbora!
A primeira, claro, tinha que ser a série que me inspirou a criar esse post. Girlboss é inspirada na história real da Sophia Amoruso, a fundadora, CEO e diretora criativa da marca Nasty Gal (que faliu ano passado, mas who cares? HAHA). Na ficção, Sophia Amoruso é Sophia Marlowe, uma garota que, aos 22 anos, não tinha a mínima ideia do que tava fazendo com a vida e trabalhava em empregos que ela nem gostava... até o dia em que decidiu abrir um brechó virtual no eBay. Aí boom, tudo mudou. Aos 27 anos, a Sophia da vida real já tinha uma marca multibilionária com duas lojas físicas (sonho, né?). Agora fazendo uma observação, não vou dizer que simpatizei com a Sophia, achei ela mimada e bastante egoísta na maioria das vezes, mas não dá pra negar que a história é muito inspiradora e divertida, afinal, é sempre legal ver alguém criando um império do nada e dá aquela sensação de que se ela conseguiu, a gente também consegue. Os episódios têm, no máximo, 30 minutos e tem tudo na Netflix. Ah, e se você gosta de O Diabo Veste Prada, é bem provável que vá gostar de Girlboss também, viu?
***
Project Runway não é bem uma série, mas sim um reality show indispensável pra quem curte o mundo da moda. No reality, alguns estilistas competem entre si em desafios que testam sua criatividade, e, no fim, o melhor leva o prêmio. Prêmio esse que muda de acordo com as temporadas, mas pra vocês terem uma noção, o vencedor da primeira levou cem mil dólares para casa, além de uma parceria com a Banana Republic pra ajudar a desenvolver sua própria grife e um ensaio na revista Elle pra divulgar a mesma. Coisa chique. O programa é apresentado pela modelo Heidi Klum e os estilistas tem como mentor o Tim Gunn (cê já deve ter visto a cara dele nos programas do canal H&H). Os episódios têm cerca de 45 minutos e, infelizmente, não são todas as temporadas que estão disponíveis na Netflix, só a 7ª e a 8ª.
*** 
The Carrie Diaries foi muito comentada aqui na blogosfera quando foi lançada (quem lembra?), afinal, a série conta a história da adolescência da Carrie Bradshaw, sim, ela mesma, a protagonista de Sex & The City (série queridinha de quase todo mundo, né?). Mas não se preocupe, The Carrie Diaries e Sex & The City são séries independentes, o que significa que você não precisa ter visto uma para ver a outra. Agora vem a bomba: The Carrie Diaries foi cancelada, e por isso contou só com duas temporadas, mas mesmo assim, a história era bem legal e o figurino... ah, o figurino era incrível! A série se passa em 1980 e o figurinista conseguiu retratar muito bem a época, então pra quem quer mergulhar nos anos 80, TCD é super recomendada! Ah, e os episódios duram cerca de 40 minutos.
***
Atelier é, sem dúvidas, a série mais desconhecida da lista. Eu mesma não conhecia até algumas semanas atrás, quando vi ela no catálogo da Netflix. Atelier, antes de tudo, é um dorama e dorama, nada mais é do que a definição do gênero série de televisão oriental. Esse dorama conta a história da Mayuko, uma jovem que ama tecidos e, por isso, vai trabalhar em uma loja de lingeries comandada pela estilista Mayumi Nanjõ (que eu tenho certeza que foi inspirada na Anna Wintour, diretora de redação da Vogue, porque sim). E logo no primeiro dia, Mayuko percebe que vai precisar de muita ajuda e força de vontade pra sobreviver no novo trabalho. Os episódios têm entre 40 a 50 minutos e tem tudo na Netflix. Eu assisti o primeiro e confesso que foi muito estranho ouvir os personagens falando japonês, mas é bom pra ampliar os horizontes, né? 
***
Mais uma recomendação no estilo Project Runway. America's Next Top Model é, junto com Girlboss, o meu programa favorito da lista. Comandada pela maravilhosa da Tyra Banks, a competição conta com vários modelos (nas primeiras temporadas eram só mulheres, mas ao longo do tempo, homens começaram a participar também) que competem entre si com o objetivo de ganharem um contrato e alguns outros prêmios. Os episódios tem duração de 45 minutos e as competições são sempre bem desafiadoras e vão se renovando a cada temporada, por isso é muito legal de assistir e torcer pelo seu participante favorito.
E cabô! Espero que vocês tenham gostado das indicações. Agora me digam, já conheciam quais das séries? Vocês já assistem ou pretendem assistir alguma delas?

VEJA MAIS:
TAG | Viciada em séries
4 maneiras de usar meia-arrastão + onde comprar
Me acompanhe também nas redes sociais: